fbpx

vamos conversar?

O Papel do Product Owner no Time de Produto

Tempo de leitura: 10 minutos

No segundo artigo da série sobre times de produtos digitais, iremos abordar o papel do Product Owner (PO) na jornada de desenvolvimento. Nosso objetivo é explicar por que é importante ter uma pessoa focada em gestão de produto, e o grande impacto deste trabalho nos resultados do time. Para tal, reunimos as principais dúvidas dos nossos clientes e conversamos com nossos especialistas. 

A saber: no primeiro artigo desta série, que você pode conferir aqui, exploramos de forma ampla todos os perfis, papéis e conhecimentos necessários a um time de produto. Além do Product Owner, nos próximos artigos falaremos sobre o papel das pessoas Designers, Desenvolvedoras e Testers. 

Por que precisamos de uma Pessoa de Produto?

Quando atuamos na construção de um produto digital, estamos lidando com complexidade. Começamos com (1) uma visão de onde queremos chegar (geralmente um pouco vaga), (2) um punhado de informações sobre o mercado, (3) uma certa ideia das necessidades dos nossos clientes, e (4) um orçamento e tempo limitados. Tudo isso, somado à missão de entregar o máximo de valor aos clientes e usuários.  

No meio dessa complexidade, é preciso tomar incontáveis decisões diárias sobre o que fazer, como fazer e quando fazer. A Pessoa de Produto pode ser vista então como alguém que compreende as restrições do negócio (de dinheiro, de tempo, jurídicas, de processos, etc.), e atua para priorizar o trabalho do time de forma estratégica, maximizando o valor entregue. 

Comumente, os idealizadores do negócio, ou patrocinadores, acreditam que podem fazer esse papel. Mas nossa experiência e os métodos modernos de desenvolvimento mostram que o melhor é ter alguém específico dentro do time, que tenha domínio das técnicas da área e experiência em produtos digitais. Isso não significa que a atuação de idealizadores e patrocinadores é desnecessária: a Pessoa de Produto vai ter contato frequente com esses, cocriando conjuntamente a visão estratégica – mas realizará também outras atividades que exigem maior tempo e foco.  

“Podemos dizer, por experiência de vários casos que já assistimos, que sem uma boa Pessoa de Produto há muito desperdício de tempo e dinheiro. O time alocado constrói bastante software, mas sem conexão com uma estratégia maior. Nesses casos, não é raro ter que jogar muita coisa fora e recomeçar do zero, porque o que foi construído funciona, mas não atende”, ressalta Karina Hartmann, que atua com Produtos na SoftDesign. 

O que uma Pessoa de Produto faz?

No mercado, existem duas principais nomenclaturas para o papel de quem trabalha com produtos: Product Owner (PO) e Product Manager (PM). Em algumas empresas, esses papéis são executados pela mesma pessoa; em outras, são divididos; e existem ainda aquelas que possuem somente o primeiro papel. 

Na SoftDesign, a Pessoa de Produto assume as responsabilidades de Product Owner e de Product Manager. 

Como Product Manager, as principais responsabilidades são: 

  • Articular a visão do produto; 
  • Apoiar a empresa na criação de uma estratégia para o produto que esteja conectada à estratégia geral da empresa, usando como base conhecimentos sobre o mercado e sobre os usuários; 
  • Criar, manter e comunicar um roadmap do produto – que é um descritivo visual (uma espécie de roteiro) que mostra como o produto irá evoluir ao longo do tempo – que represente essa estratégia;
  • Alinhar o roadmap com as restrições da empresa (dinheiro, tempo, etc.); 
  • Pensar em formas de reduzir os riscos e incertezas o mais cedo possível, por meio de testes, experimentação ou pesquisa; 
  • Retroalimentar o roadmap a partir de métricas de produto; 
  • Interagir com outras áreas que precisam estar alinhadas (vendas, marketing, suporte, operação) para alinhar processos, passar conhecimentos, entre outros. 

Como Product Owner, que é um papel do método Scrum, as principais responsabilidades são: 

  • Priorizar o trabalho que será feito pelo time em cada Sprint, para entregar o máximo de resultados e atingir os objetivos do roadmap; 
  • Identificar opções de solução para cada objetivo do roadmap, escolhendo a melhor com base em testes, pesquisa ou outras fontes de dados; 
  • Refinar cada solução escolhida, escrevendo as histórias de usuário que serão a base para o desenvolvimento. 

Pela lista acima, percebemos que esse trabalho não é simples. Para conseguir realizá-lo, é preciso compreender os diversos interessados no produto, e integrar seus pontos de vista em uma estratégia coesa.  

Bruna Ricardo, uma das Pessoas de Produto da SoftDesign, valoriza muito esse aspecto. Para ela, o seu principal desafio em um time de produto digital é conectar todas as pontas de forma estratégica, considerando os objetivos diferentes de cada stakeholder. “O principal desafio da minha função é transitar entre diferentes cenários, conectando stakeholders: cliente, time de desenvolvimento, e usuário final. Preciso trazer todo mundo para o mesmo mundo e fazer com que essas pessoas fiquem satisfeitas com o que está sendo desenvolvido”, afirma. 

Além disso, para Daniel Olsson, que também atua com produtos na SoftDesign, “a presença do Product Owner é crucial pois, enquanto a empresa assume o papel de se preocupar com o negócio, o PO foca no produto, gerindo esforços para que ele seja um sucesso. Fazemos isso ao mesmo tempo em que verificamos o usuário e o mercado, salvando o tempo do empreendedor para que ele possa focar em decisões estratégicas e administrativas”, ressalta. 

Como é o dia a dia de uma Pessoa de Produto?

Atuando em um time que usa Scrum, essa pessoa terá que executar as funções de Product Owner, então na sua agenda iremos encontrar: 

  • Participação na Planning, reunião de planejamento que ocorre no início de cada Sprint. Nela, o PM explica o objetivo daquele ciclo de trabalho e o time planeja o que é necessário para atingi-lo; 
  • Condução da Review, momento no qual o time coleta feedback sobre o executado na Sprint; 
  • Manutenção, atualização e priorização do backlog, que é a lista de tudo que há para ser feito; 
  • Disponibilidade diária para auxiliar o time com dúvidas e decisões. 

Porém, indo além do Scrum, o PO também precisa organizar na sua agenda: 

  • Conversas frequentes com os stakeholders, que são as várias áreas envolvidas no produto, como, por exemplo, Negócio, Marketing e Vendas: o objetivo é entender as expectativas e restrições que cada um traz para o projeto; 
  • Estudos sobre o mercado, para manter seu entendimento atualizado sobre o posicionamento e os diferenciais do produto em construção; 
  • Coleta de dados sobre os usuários, incluindo Analytics, e também a condução de pesquisas com usuários com apoio das Pessoas Designers (entrevistas, observação, testes de usabilidade); 
  • Identificação de oportunidades a partir dos dados coletados; 
  • Análise de ideias de soluções, o que geralmente inclui a criação de fluxos e protótipos, além de discussões com todo o time; 
  • Teste de soluções antes de construir, o que inclui planejar e executar experimentos que reduzem o risco de investir em uma solução ruim; 
  • Montar um roadmap e alinhar frequentemente essas metas com todos os envolvidos, conciliando-o com as expectativas e restrições do negócio, e com as mudanças frequentes no cenário ou na estratégia da empresa. 
Artefatos de Product Owner - SoftDesign

Artefatos de Pessoas de Produto. Fonte: Imagem própria.

Como deve ser o perfil de uma Pessoa de Produto?

Para Marty Cagan, autor do best seller Inspired, a pessoa precisa ser muito talentosa e reunir esperteza, criatividade e persistência. Afinal, o trabalho exige a capacidade de navegar do estratégico ao operacional, unindo negócio, design e tecnologia. Para Michele Machado, que atua com produto na SoftDesign, um Product Owner precisa conversar de igual para igual com os stakeholders (discutindo o que é melhor para o negócio) e com o time técnico (definindo o que é prioridade e possíveis soluções). 

Para atuar nesse papel, não é necessário ter domínio da parte técnica, como uma pessoa que já foi programadora, por exemplo. Mas, na visão de Cagan, precisa ser alguém que tenha uma curiosidade sobre as soluções, e não tenha medo de participar de discussões sobre elas. Isso significa que pessoas técnicas, sem skills de comunicação e negociação, são uma receita de insucesso. “Penso que só entender de tecnologia não faz com que um produto dê certo, também é preciso conectar ideias e pessoas”, destaca Bruna.

Os Product Owners da SoftDesign

Em nosso processo de trabalho, o perfil que chamamos de Product Owner acumula tanto a visão estratégica (Product Management) quanto a visão operacional do dia a dia do Scrum. Essas pessoas participam da Concepcão de novos produtos e também do ciclo de vida do Desenvolvimento. 

Na SoftDesign, a nossa maior missão é entregar produtos que serão usados, amados e que gerem valor. Se você precisa de ajuda para estruturar e validar ideias, compreender públicos e desenvolver produtos de sucesso, entre em contato conosco por meio do formulário abaixo. Juntos, iremos conectar tecnologia, design e estratégia! 


Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço [email protected]

Foto do autor

Pâmela Seyffert

Marketing & Communication na SoftDesign, Jornalista (UCPEL) com especialização em Gestão Empresarial (UNISINOS) e mestrado em Comunicação Estratégica (UNL). Especialista em comunicação e criação de conteúdo.

Deseja receber novidades sobre

DESIGN, AGILIDADE e TECNOLOGIA?

SoftDesign