Loading Softdesign

4 soluções para o dia a dia dos POs

6 minutos de leitura

No dia 08/07, os Product Owners da SoftDesign se reuniram na Comunidade de Prática de Produto com POs de outras empresas para debater sobre a criação de produtos digitais inseridos no contexto ágil. Nesse encontro, a partir de uma dinâmica de lean coffee (um estilo de reunião criado para direcionar discussões conforme o interesse das pessoas), os participantes falaram sobre alguns problemas que ocorrem durante o desenvolvimento e propuseram soluções. Confira abaixo os itens discutidos:

1. Melhor forma de priorizar o backlog

O backlog do produto são os itens que ainda não foram feitos, ou seja, que devem ser desenvolvidos ao longo das sprints (fases de desenvolvimento do produto, que podem ter duração de uma semana, duas semanas ou até um mês). Em alguns casos, as prioridades do backlog não estão claras, pois cada agente envolvido (stakeholder) na criação do produto digital possui seu próprio ponto de vista, o que dificulta o andamento do trabalho.

Solução:

Nesse caso, é preciso reunir o time de Scrum e alinhar as expectativas de todos os participantes do projeto (desenvolvimento, stakeholders, POs, Scrum Master) com o objetivo de encontrar as reais prioridades do backlog. Isso pode ser feito a partir de facilitações, decomposições de épicos e envolvimento de dados analíticos.

2. Refinamento de backlog sem o time de desenvolvimento

Em alguns casos, o time de desenvolvimento não está maduro o suficiente para conduzir o refinamento das histórias de usuário (descrição de uma ou mais sentenças que capturam o que um usuário faz ou necessita fazer em um sistema)  que irão compor a próxima sprint. Em determinadas situações, os envolvidos optam por fazer esse refinamento apenas com duas pessoas do time, buscando evitar a dispersão. No entanto, essa pode não ser a melhor saída na maioria dos casos, pois os encontros são mais eficazes quando todos do time estão reunidos.

Soluções:

• Contratar um Scrum Master para o time Scrum e, caso esse profissional já esteja no time, buscar um Agile Coach  – profissional que ajuda a treinar equipes corporativas na metodologia ágil e supervisiona o desenvolvimento de equipes ágeis para garantir resultados eficazes – para compor a equipe. Assim, todos podem ser orientados e reeducados dentro das diretrizes ágeis de condução de projetos em um modelo Scrum;

• Demonstrar para os stakeholders que a participação do time no refinamento ajuda a minimizar a complexidade das histórias do usuário e, além disso, traz para o time o sentimento de pertencimento que ajuda a evitar a desmotivação que geralmente acontece nos times ágeis quando os participantes não se sentem parte do processo;

• Orientar o PO sobre o real sentido de valor das entregas que serão realizadas durante as sprints;

• Orientar stakeholders, caso estejam envolvidos nos refinamentos técnicos, do coast of delay (custo por não priorizar as demandas de real valor) que haverá por conta das difíceis definições e saídas desse modelo de refinamento.

3. Definição de épico de última sprint do produto

Quando as melhorias no produto surgem diretamente de feedbacks fornecidos pelos clientes, os stakeholders e o time de desenvolvimento podem ter dificuldades para definir qual será a última entrega de valor.

Solução:

Utilizar pesquisas, entrevistas e dinâmicas de facilitação junto aos usuários para que os stakeholders e time de desenvolvimento possam chegar a um consenso sobre qual o requisito mais importante deve ser inserido na última sprint.

4. Quando um PO está em dois projetos simultaneamente e tem dificuldades para atendê-los com excelência

Se esse profissional não possuir o preparo adequado, é possível que ele não consiga acompanhar as cerimônias ágeis e consequentemente, os projetos. Isso causa insegurança e insatisfação para os times com os quais ele atua, comprometendo o resultado das entregas.

Soluções:

• Antes de inserir um PO em mais de um projeto, é necessário verificar se o mesmo tem condições para isso. Dessa forma, é necessário que o profissional seja organizado, tenha maturidade, seja transparente com os times e peça ajuda para o Scrum Master quando houver impedimentos que a sua atuação ou ausência possam causar;

• Ter um Scrum Master trabalhando no time Scrum;

• O PO precisa se sentir confortável para dizer ‘não’, aceitar o erro como oportunidade de crescimento e cancelar a sprint caso o ambiente não esteja favorável por conta de sua atuação;

• Participar de todas as cerimônias Scrum ou reagendá-las (caso existam conflitos entre agendas) para que esteja presente em todas.

Nesse encontro, conseguimos compreender os dilemas que os POs enfrentam na construção de um produto digital e como eles podem ser minimizados por meio de uma educação ágil, melhora da maturidade do time, presença constante do Scrum Master e o envolvimento do time Scrum em todo o processo de definição das histórias do usuário ao longo das sprints.

Nosso time de POs realiza encontros periodicamente para debater ideias e melhorar as práticas em desenvolvimento de produtos. Se você é PO e quer participar do nosso próximo encontro, ou ainda, quer sugerir um assunto para debate, entre em contato conosco! Todas as ideias são bem vindas.

Product Owner na dinâmica lean coffee.
Product Owner solucionando problema na dinâmica lean coffee.