Agile Brazil 2020: agilidade como ferramenta de adaptação

Tempo de leitura: 6 minutos

No último dia 30 de setembro,  Raphael Rodrigues representou a SoftDesign no painel de patrocinadores do Agile Brazil 2020. O evento tem como principal objetivo incentivar e disseminar a cultura ágil no país, e neste ano aconteceu em formato de caravanas online.

Na ocasião, o tema discutido foi Como a agilidade contribui para a adaptabilidade de empresas durante a pandemia?. O agilista participou da mesa junto aos representantes de outras empresas que apoiaram essa edição do evento, como ThoughtWorks, Globo e DTI Digital.

Durante o painel, os participantes refletiram sobre como as organizações estão lidando com a pandemia de coronavírus, como ocorreu a mudança do trabalho presencial para o remoto, e como tem sido a adaptação dos colaboradores em um momento tão delicado. A seguir, destacamos as principais contribuições de Raphael ao debate.

A transição para o home office

O agilista salientou que na chegada da pandemia ao Brasil o cenário era de incerteza. Ele ainda refletiu sobre a importância de os colaboradores terem sido liberados para o home office ainda em março, e destacou que essa adaptação se tornou mais fácil porque, na SoftDesign, já utilizávamos ferramentas adequadas para o trabalho remoto.

A nossa maior dor realmente foi em relação ao pânico inicial, quando ainda não tínhamos muitas informações sobre o coronavírus. Não sabíamos como lidar e comunicar o que estava acontecendo às pessoas. Foi necessário mostrar a possibilidade do trabalho remoto e acalmar os colegas para realizar a transição. Em relação às ferramentas e processos de trabalho, já tínhamos maturidade . Temos muitos times atuando em diversos clientes na modalidade outsourcing e já estamos mais habituados com esse modelo.

Acompanhamento de pessoas e onboarding de novos colaboradores

Outro desafio imposto pelo isolamento social, foi a forma como os colaboradores são recebidos na SoftDesign, além do acompanhamento mais próximo de quem já estava na empresa. Raphael relembrou que uma das preocupações do home office foi estar presente principalmente para aqueles que moram sozinhos, pois eles poderiam precisar de alguém para conversar. Outro ponto destacado pelo agilista foi o crescimento da organização durante esse período. Foram mais de 30 pessoas recebidas na empresa e muitos projetos novos para desenvolver.

Na Soft, reforçamos o one –on-one entre colaboradores e lideranças. Recebemos mais de 30 pessoas desde que o trabalho remoto começou e elas ainda nem conhecem a nossa sede. Também fortalecemos o programa de madrinhas e padrinhos nesse período, pois notamos a importância de ter alguém como referência para tirar as dúvidas básicas do dia a dia de uma maneira mais informal. Além disso, temos uma base de conhecimento bem consolidada no nosso portal interno, o que contribui para que os novos colegas conheçam um pouco mais sobre os nossos processos e a nossa cultura, mesmo à distância.

O papel da agilidade nas empresas

Ao falar sobre como nos adaptamos em um período de tantas mudanças, Raphael reforçou a importância da agilidade – que é um dos nossos três pilares fundamentais  – e salientou como ela contribuiu para essa transição.

Pensando em experimentação – e adaptação – as áreas que ainda tinham processos manuais, como o Administrativo e o RH, precisaram se ajustar rapidamente. Por exemplo, alguns estagiários não conseguiam renovar seus contratos, pois as universidades estavam fechadas para atendimento presencial. Foi necessário encontrar uma maneira digital para solucionar esse problema. Já os times de desenvolvimento estão mais habituados com essa cultura e os métodos ágeis na sua rotina de trabalho.

Discovery e feedback no trabalho remoto

O agilista ainda falou sobre o relacionamento com os clientes durante o isolamento social. Ainda que alguns deles já tivessem um acompanhamento online, perdemos pontos relevantes para a etapa de Discovery, por exemplo.

Como já realizamos showcase, recebemos alguns feedbacks nesse momento. Por hábito, esses retornos já aconteciam com cadência na Soft. Notamos que, no começo da pandemia, alguns clientes ainda pediam para fazer reuniões presenciais. Conforme os meses passaram, percebemos que esse comportamento mudou. Por outro lado, agora podemos dizer que as barreiras geográficas finalmente caíram. Clientes em potencial de diversas regiões do país estão nos procurando para conhecer nossos serviços, mas ainda é algo recente. Com tantas mudanças, posso dizer que a perda maior ocorreu mesmo no processo de conversa com o usuário, pois perdemos a capacidade de observação in loco. Em contrapartida estamos fazendo muitos testes de usabilidade, na parte de UX – com o Figma, por exemplo.

Assista ao painel na íntegra

Quer conferir mais detalhes sobre o que rolou no painel Como a agilidade contribui para a adaptabilidade de empresas durante a pandemia? Acesse abaixo o vídeo completo do evento:

Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço mkt@softdesign.com.br.