Dicionário de Marketing Digital – Parte 2

Tempo de leitura: 6 minutos
Dicionário de TI
por em 21 de julho de 2020

No nosso primeiro Dicionário de Marketing Digital, falamos sobre Inbound Marketing, Marketing de Conteúdo, Social Media Marketing e Marketing de Performance. Agora, vamos explorar o Marketing de Afiliados, o Marketing Direto, o Marketing de Relacionamento e o Mobile Marketing.

Pois, não importa o tamanho do seu negócio, você com certeza precisa de marketing digital. A grande questão é qual a melhor estratégia para o seu produto ou serviço, pois não existem fórmulas prontas. Você só descobrirá a combinação ideal realizando testes e, para isso, é preciso que conheça as inúmeras possibilidades da área.

Marketing de Afiliados

É um tipo de marketing digital no qual um negócio remunera um ou mais afiliados pelos visitantes ou clientes adquiridos – resultado dos esforços individuais de marketing. A lógica está em maximizar o alcance de um produto ou serviço por meio de terceiros, que irão divulgá-lo em troca de comissões.

O Marketing de Afiliados baseia-se em uma relação comercial e ficou famoso quando a gigante Amazon, em 1996, criou seu programa de afiliados. Na época, o afiliado podia colocar banners ou links da Amazon em seu site pessoal, indicando algum produto específico ou mesmo a própria marca. O número de cliques nesses garantia o comissionamento do afiliado e a continuidade da parceria.

Atualmente, existem diferentes Programas de Afiliados que envolvem retorno financeiro com base em Custo por Clique (CPC), Custo por Ação (CPA), Custo por Mil Impressões (CPM) e Custo por Venda (CPV). Se você quiser saber mais sobre eles, vale ler este artigo da Hotmart.

mkt_afiliados

Fonte: https://blog.hotmart.com/pt-br/marketing-de-afiliados/

Marketing de Relacionamento

Sabe aquela mensagem de WhatsApp que você recebeu durante a madrugada, lhe oferecendo um produto que você, na verdade, não precisa? São ações desse tipo que o Marketing de Relacionamento quer evitar. Seu objetivo é, a partir de dados, ajudar negócios a conquistar e fidelizar clientes, tornando esses, ainda, divulgadores espontâneos da marca – verdadeiros fãs.

O Marketing de Relacionamento começa no primeiro contato do possível cliente com a empresa. Esse contato pode acontecer por meio do Google, de redes sociais, do site e até mesmo por telefone. Por isso, é importante que todas as frentes do negócio estejam com a mesma linguagem e identidade, e transmitam uma cultura de atendimento de excelência centrada no cliente.

Ao longo do relacionamento, os clientes vão adquirindo relevâncias variadas dentro da organização, de acordo com a frequência de compras ou com a importância das operações no faturamento da empresa, por exemplo. O tratamento desses clientes deve ser diferenciado e seu acompanhamento deve ser personalizado: eles podem receber ofertas específicas, ser consultados para pesquisas sobre a marca, e até participar de algum programa de afiliados, como explicado anteriormente.

As vantagens do Marketing de Relacionamento incluem o aumento do Life Time Value (LTV) e o decréscimo dos gastos com anúncios. Para conhecer os primeiros quatro passos de uma estratégia deste tipo de marketing digital, leia este artigo da Resultados Digitais.

Marketing Direto

Mala direta, telemarketing e televendas são ferramentas de marketing que estão sendo, aos poucos, substituídas por outras, como o e-mail marketing, o remarketing ou cupons online. Entretanto, todas essas pertencem ao Marketing Direto, que realiza ações personalizadas para um público específico em busca de novos clientes – pessoas que tenham interesse em adquirir determinado produto ou serviço.

Normalmente, o público-alvo de uma campanha de Marketing Direto é composto por pessoas que já estão presentes em alguma base de dados do negócio. Porém, mesmo assim é preciso se certificar que você tem permissão para contatar tais pessoas, para que seu e-mail ou telefonema, por exemplo, não seja considerado invasivo.

Os passos de criação de uma campanha deste tipo de marketing envolvem a identificação do público-alvo, a segmentação desse público, a interação por meio de ações e, por fim, a customização do produto ou serviço de acordo com as necessidades específicas do cliente ou grupo de clientes. Se você quiser conhecer exemplos de campanhas de Marketing Direto, veja este artigo da Rock Content.

Mobile Marketing

Para finalizar, vamos explorar o marketing digital feito exclusivamente para dispositivos móveis. Ele envolve estratégias que tem como objetivo interagir, engajar e influenciar clientes e possíveis clientes a partir de um contato próximo.

Por óbvio, o Mobile Marketing considera todas as características e funcionalidades dos smartphones e tablets para criar conteúdos otimizados e responsivos. Dele fazem parte anúncios de redes sociais, notificações no formato push, SMS, bluetooth entre outros.

Esse tipo de marketing está em crescimento para o e-commerce, visto que as compras por dispositivos móveis já chegaram a ocupar 40% do total no Brasil – dados de 2019. Além disso, ele se beneficia de informações de geolocalização para oferecer as ofertas certas no momento certo; e pode utilizar aplicativos específicos para divulgação de produtos e serviços relacionados. Para conhecer outras ferramentas de Mobile Marketing, leia este artigo do Neil Patel.

mkt_mobile

Fonte: https://www.ebit.com.br/webshoppers/webshoppersfree

No próximo e último Dicionário de Marketing Digital, abordaremos o Marketing Viral, o Cross Marketing, o Marketing de Influência e o Marketing Reverso. Até lá!

Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço mkt@softdesign.com.br.