fbpx

vamos conversar?

Como publicar apps nas lojas online

Tempo de leitura: 6 minutos

Se você é startupeiro, empreendedor, ou está entrando no universo de desenvolvimento de aplicativos, é importante entender melhor sobre como publicar apps nas lojas online. Existem diversas etapas necessárias para disponibilizá-los aos usuários – elas garantem a estruturação e distribuição adequada do produto digital.

Para esclarecer melhor esse tema, criamos este artigo, onde iremos comentar sobre a publicação na Google Play e na Apple Store. Esperamos que seja útil para você.

Conta de desenvolvedor

Para publicar apps nas lojas online é preciso criar uma conta de desenvolvedor. Essa conta é paga e custa uma taxa única de US$25 na Google Play, ou um valor anual de US$99 na Apple Store. Sim, isso significa que se você quiser ter um aplicativo tanto para Android quanto para iOS, você precisará de uma conta em cada loja; e também que em ambos os casos o pagamento é feito em dólares, o que exige que você tenha um cartão internacional.

Além disso, há um tempo entre a solicitação de publicação de um aplicativo e sua disponibilização para os usuários. Na Google Play, esse período pode ser de até três dias úteis, e na Apple Store, cinco dias úteis. Isso, é claro, se o aplicativo for aprovado pelas lojas, pois ele pode ser recusado por inadequações e podem ser necessários ajustes antes da nova solicitação.

Publicando um app na Google Play

Na Google Play, com a conta criada, você poderá publicar e gerenciar seus aplicativos por meio do Play Console. Essa ferramenta disponibiliza diversas páginas como: Painel, que apresenta o passo a passo para lançar um aplicativo; Versões, onde estão itens relacionados à produção, testes e configuração; Crescimento, onde você pode acompanhar estatísticas do produto; Qualidade, que fornece feedbacks de usuários e status de desempenho; e Monetização, onde você pode gerenciar a parte financeira do seu aplicativo; entre outros.

Mas atenção: para publicar apps na Google Play não basta ter o produto pronto. A loja exige uma boa descrição do aplicativo, um termo de funcionamento, a política de privacidade do usuário, as telas no formato exigido, entre outros. Ah, e guarde com carinho a chave de publicação do app pois, se você a perder, pode demorar até dois dias para recuperá-la.

Para encontrar dicas, tendências e mais informações sobre a publicação de aplicativos na Google Play, você pode acessar o blog da plataforma.

Publicando um app na Apple Store

Na Apple Store, o processo é um pouco mais complicado. Para começar, você precisa de duas contas: uma no Apple Development, que pode ser Individual (CPF) ou Enterprise (CNPJ), e é a parte responsável pelas assinaturas e certificados; e uma no Apple Store Connect, que contém tudo o que está relacionado à publicação e distribuição do aplicativo.

Depois, você precisa solicitar um Certificado de Distribuição autorizado pela Apple; e assinar o código do seu aplicativo. Isso mesmo, por meio do Xcode você precisa assegurar que aquela programação é própria pois, com essa segurança, a Apple pode identificar quaisquer mudanças e lhe enviar notificações – inclusive tentativas de malwares.

Com essa etapa inicial concluída, publicar apps na Apple Store se assemelha a da Google Store: você precisará de termos de funcionamento, política de privacidade, descrição, telas, ícones e etc. Nesse momento, você também escolhe se seu produto será gratuito ou pago e, no caso da segunda opção, lembre-se: cada loja online fica com uma porcentagem da venda do seu aplicativo.

Aplicativo rejeitado, e agora?

Calma, isso pode acontecer. Entretanto, é importante conhecer os principais motivos pelos quais aplicativos normalmente são rejeitados nas lojas online, assim você pode evitar esse contratempo.

Bugs ou falhas no código do produto digital são os principais motivos para rejeição: testar o aplicativo é essencial, pois se erros ou falhas constantes forem encontrados, ele não será aceito. A presença de conteúdo inútil, ou seja, funcionalidades que não servem para nada, também podem causar a rejeição do app.

A falta de informação pode ainda ser um motivo: muitas vezes, por pressa ou desatenção, alguns itens não são preenchidos no momento da submissão do aplicativo. Além disso, se a descrição do seu produto for diferente do que ele efetivamente oferece, ele será considerado fraude e não será disponibilizado aos usuários.

Vale saber ainda que a revisão da Apple é muito mais criteriosa do que a da Google. Por exemplo, a Apple Store também considera como importante a User Interface (UI). Ou seja, o aplicativo precisa ter foco em usabilidade e prezar por uma boas interfaces e jornadas.

Para se preparar para todos os critérios que a Apple vai avaliar no seu aplicativo, é importante estudar os Guidelines de revisão de aplicativos da Apple.

Qualidade em primeiro lugar

O processo de publicar apps nas lojas de aplicativo pode ser desafiador, mas se o produto digital for qualificado e a equipe de trabalho experiente, essa será uma etapa facilmente vencida. Aliás, esse trabalho pode até ser automatizado, permitindo que os aplicativos entrem em um processo de entrega contínua, usando, por exemplo, ferramentas como o Fastlane.

Na SoftDesign, ajudamos startups e empresas consolidadas no desenvolvimento de aplicativos e na publicação desses produtos digitais. Portanto, se você precisar de ajuda, basta preencher o formulário abaixo que entraremos em contato.


Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço mkt@softdesign.com.br.

Foto do autor

Micaela L. Rossetti

Head de Marketing da SoftDesign, é formada em Jornalismo (UCS), mestre em Comunicação Social (PUCRS), e tem MBA em Gestão de Projetos (PUCRS). Especialista em Inbound Marketing e Content Marketing, também atua na área de Marketing Estratégico.

Deseja receber novidades sobre

DESIGN, AGILIDADE e TECNOLOGIA?

SoftDesign