fbpx

vamos conversar?

Startups Camelo: sobrevivência no mundo dos negócios

Tempo de leitura: 6 minutos
Startups
por em 1 de junho de 2021

Você já atravessou um deserto? Encarou desafios numa região praticamente desabitada? Correu riscos ao buscar inovação e sobrevivência ao longo de dias e noites? Enfrentou baixas e altas temperaturas em um ambiente de negócios com condições adversas? Se a resposta for sim para pelo menos duas dessas perguntas, existe uma grande chance de a Startup Camelo ser um modelo de inspiração para a sua empresa.

Nesse universo repleto de reinvenção, perceber quais são as características e os diferenciais dos concorrentes pode ser a maneira ideal para traçar a jornada mais adequada para o seu negócio. Entre unicórnios, zebras e camelos, as startups trilham caminhos diferentes para manterem-se vivas no seu habitat natural. Mas, afinal, o que esses animais têm em comum com o mercado de tecnologia?

A cultura startup nos ensina diariamente a investir em agilidade, a aprender com os erros, dar um passo para trás quando necessário e a avançar de forma ousada para adquirir vantagem competitiva. Essas empresas são como os animais: utilizam estratégias e táticas cuidadosamente calculadas para alcançarem os melhores resultados ao lançarem novos produtos e serviços no mercado.

Trabalhe como um camelo

A Startup Camelo é um exemplo de empresa que procura crescer de maneira sustentável, aproveitando as oportunidades que surgem no caminho. Sobreviver em condições desfavoráveis é a sua principal missão e, para isso, trabalha diariamente para equilibrar o crescimento e o fluxo de caixa.

Entre as suas principais características estão: estabilidade, qualidade e cautela. Esse tipo de startup mantém-se firme durante períodos de crise pois tem como meta o crescimento equilibrado, orientado por uma visão de longo prazo, com foco em diversificação no modelo de negócios.

Sabe-se que o sucesso não se constrói da noite para o dia, logo a constância e a resiliência do camelo podem ser consideradas pontos fortes em um cenário que supervaloriza o crescimento exponencial e mitológico das Startups Unicórnio. Lembre-se: camelos sobrevivem e prosperam nas condições mais adversas.

Um oásis na crise

É difícil prever o futuro, mas esse é o momento ideal para começar a tirar lições do período conturbado em que estamos vivendo no presente: é tempo de aprender com a crise. A aceleração das soluções digitais é um legado da pandemia e muitas empresas tiveram que se adaptar ao cenário para não serem engolidas por essa nova realidade.

Planejar a longo prazo, mas viver um dia de cada vez é uma das maiores missões do mercado tecnológico. Para isso, o jeito ágil de uma startup trabalhar precisa estar alinhado a uma estratégia de inovação sustentável. Não esqueça: crescer por meio de processos e com tecnologia é um desafio, mas também é a maneira mais saudável de se reinventar nos negócios.

Velocidade X Precisão

Diferentemente dos unicórnios, os camelos são animais reais. Pensando assim, questione-se: você quer construir uma startup capaz de sobreviver aos altos e baixos ou prefere escalar o seu negócio o mais rápido possível? Os camelos não priorizam a velocidade em detrimento da eficiência. Além disso, eles compreendem que a precificação não deve ser uma pedra no caminho. O preço é consequência das características do produto. Logo, é a qualidade que influência a sua posição no mercado.

O crescimento calculado e a longo prazo faz parte de uma estratégia para gerenciar os custos durante a vida útil da empresa. Nas Startups Camelo, as decisões são estudadas e analisadas para que os investimentos sejam assertivos – forget about cash burn rate – e para que os impactos causados por possíveis fracassos empresariais sejam os menores possíveis.

No artigo Startups, It’s Time to Think Like Camels — Not Unicorns, o autor Alex Lazarow, ressalta que os camelos não dispensam investimentos de Capital de Risco e que crescer com sustentabilidade é completamente permitido dentro desse universo. Entretanto, as suas taxas de queima de dinheiro serão menos extremas quando comparadas às Startups Unicórnio.

A estrada é longa

Os camelos foram feitos para percorrer longas distâncias. Eles atravessam desertos e antes de competir com os outros, precisam competir com as adversidades que surgem no caminho. Para esses animais, o importante é sobreviver por mais tempo e não alcançar a linha de chegada em primeiro lugar. Esse comportamento também é refletido na tomada de decisão das empresas que se inspiram nesse mesmo plano de ação.

De acordo com informações da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), 73,2% das startups no Brasil nunca receberam investimentos. Logo, não é difícil compreender por que as Startups Camelo priorizam o crescimento equilibrado e buscam vantagem competitiva ao transformar adversidades em oportunidades. Para essas empresas a resolução de problemas é uma skill essencial, capaz de reverter os cenários mais difíceis e solucionar os desafios mais complexos.

Pense nas lições valiosas que podemos aprender com as Startups Camelo, que além de sobreviverem durante a crise, conseguem crescer em condições adversas. Talvez, todos nós devêssemos perseguir esse estilo de vida: adotando a resiliência na rotina empresarial e a sustentabilidade para inovar nos negócios de maneira consciente.

Não seja mais um grão de areia no deserto

Se você sonha em ser uma Startup Camelo, mas precisa de ajuda para pensar e planejar o seu modelo de negócios – preencha o formulário abaixo e converse conosco! A nossa equipe multidisciplinar irá te ajudar a encontrar soluções técnicas com um método de trabalho focado em Design, Agilidade e Tecnologia. Não espere a crise passar para aprender com os camelos!


Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço mkt@softdesign.com.br.

Foto do autor

Pâmela Seyffert

Marketing & Communication na SoftDesign, Jornalista (UCPEL) com especialização em Gestão Empresarial (UNISINOS) e mestrado em Comunicação Estratégica (UNL). Especialista em comunicação e criação de conteúdo.

Deseja receber novidades sobre

DESIGN, AGILIDADE e TECNOLOGIA?

SoftDesign