Loading Softdesign

SoftDesign na UXConf BR 2019

Gabriela Sombrio
por Gabriela em 18/06/2019

Nos dias 17 e 18 de maio, tive a satisfação de participar e representar a SoftDesign na 5ª Edição do UXConf BR, o maior evento brasileiro sobre Design para Experiência do Usuário e também um dos mais importantes da América Latina, que acontece desde 2015 em Porto Alegre. Rafael Helm, Pedro Belleza e Thiago Esser são os idealizadores da UXConf BR, que conta ainda com uma equipe de voluntários para organizar e realizar a conferência para mais de 430 designers.

O tema dessa edição (saiba mais sobre a edição anterior aqui) foi Changing Cultures. Leading by design (Transformando Culturas a partir do Design). Com palestras de 10 e 30 minutos (sendo a maioria de dez minutos), os designers foram convidados a refletir sobre o seu papel na sociedade. Temas como ética, diversidade, inclusão, acessibilidade, empatia e, ainda, impacto nos negócios, foram explorados.

Após palestras tão inspiradoras como essas, resolvi transmitir um pouco do que vivenciei e aprendi para os meus colegas na SoftDesign. Assim, dia 29 de maio apresentei no SoftDrops minhas percepções sobre o primeiro dia da UXConf BR e, hoje, compartilho aqui no blog o que mais me marcou dentre as 21 primeiras palestras:

Ética e Dados pessoais

Para iniciar a manhã de reflexão, Vitória Silveira, Bianca Guerra e Rafaela de Souza falaram sobre ética nas pesquisas de usuário e nos dados obtidos por meio delas. Até que ponto é relevante o que estamos recolhendo de dados dos usuários? Temos consciência da responsabilidade que possuímos nas mãos, ao guardar esses dados? O quão sincero você é com os usuários? Como é possível gerenciar conflitos éticos durante as pesquisas? Esses foram alguns questionamentos abordados pelas palestrantes, que falaram sobre diferentes aspectos relacionados à pesquisa e dados, além de discutir a respeito da importância da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais).

Protagonismo Feminino

Luana Marques apresentou como inseriu o Design de Experiência do Usuário em um contexto pouco comum, fora do escopo convencional de UX: um time feminino de futebol americano chamado Cold Killers FA, situado em Curitiba. Dedicada a melhorar a experiência de imersão da mulher em um esporte não convencional, Luana desenvolveu uma metodologia baseada em arquétipos das jogadoras, mapeando as jornadas e experiências individuais e coletivas delas dentro do time, utilizando ferramentas, processos e fundamentos de UX. Em apenas seis meses, a equipe melhorou seu relacionamento interpessoal e conquistou o título de vice-campeã no Torneio Sport America de FA Feminino e se tornou um time de referência em futebol americano para mulheres.

Ainda pela manhã, Fernanda Magalhães, que morou durante três meses no Egito e trabalhou como voluntária em uma startup, falou sobre seu desafio: criar um aplicativo de relacionamento em meio à cultura altamente conservadora desse país, com o objetivo de tornar a mulher islâmica mais independente na escolha do seu parceiro. Após realizar pesquisas e compreender mais sobre os hábitos e comportamentos locais, a startup obteve sucesso. A partir disso, as mulheres islâmicas conseguiram ter maior controle sobre o seu próprio casamento, podendo escolher e opinar sobre seu futuro marido. O aplicativo se chama ‘Harmonica’ e, em apenas seis meses, conquistou 100 mil usuários. A plataforma foi considerada pelo Fórum Econômico Social uma das 100 startups mais influentes do Oriente Médio.

Inclusão e Diversidade

Em seguida, Ana Cuentro iniciou sua palestra em Libras, em total silêncio, e então perguntou aos participantes: “Entenderam o que eu falei?”. Com uma fala repleta de emoção e conscientização, a qual me sensibilizou, ela abordou sobre a experiência de usuários com deficiência auditiva. Ana expôs diversas situações do dia a dia a partir da perspectiva dessas pessoas e explicou como é possível empoderá-las a partir da acessibilidade, desde legendar vídeos até incluir esse público para responder pesquisas.

Já no turno da tarde, Carolina Leslie apresentou o estudo que está realizando há alguns anos sobre o panorama do mercado de UX Design no Brasil. Carolina focou sua pesquisa no tema ‘diversidade’ e teve resultados que demonstram que o mercado de UX ainda precisa evoluir nesse quesito, como por exemplo: 60% dos designers são do gênero masculino, com menos de 32 anos e brancos. Para conferir a pesquisa completa, clique aqui.

Liderança na área de UX

Com o intuito de abordar sobre liderança na área de UX Design, Letícia Pires falou sobre como foi gerenciar uma equipe de 15 designers na QuintoAndar  – um grande desafio na sua vida profissional. Ela compartilhou sete ensinamentos que aprendeu com essa experiência e questionou sobre o porque de nós, designers, não nos prepararmos para os cargos de liderança.

UX Writing

Outro tema importante foi apresentado por Cristina Luckner, que falou sobre UX Writing, um modelo de escrita que proporciona uma melhor experiência para o usuário de um produto digital. Ela falou sobre a importância desse tipo de escrita para os negócios e ensinou como fazê-la na prática. Além de Cristina, Daniele Franco também explorou a importância do assunto, porém, mais especificamente em relação a sua atuação como tradutora na Decolar. Ela explicou a importância de não somente traduzir os textos da plataforma para os brasileiros, mas sim de repensar a forma de entregar o conteúdo para esse público, de uma maneira que as experiências de viagem façam sentido.

Empatia com os usuários

Por fim, Clécio Bachini  falou sobre ‘Empatia Seletiva e Invisibilidade Conveniente’, de forma esclarecedora e fez o seguinte questionamento: será que nós estamos projetando os produtos para quem quer comprar, ou apenas para quem queremos vender?

Esse foi apenas um resumo do primeiro dia de palestras da UXConf BR, e, confesso que foi difícil falar sobre apenas algumas delas por aqui. O evento em si foi mágico: designers em sintonia, refletindo e aprendendo sobre como causar impactos sociais a partir do Design.

Algumas das palestras já estão disponíveis na íntegra. Para assistir, clique aqui.

*Foto destaque: UXConf BR. Disponível em: UXConf BR