Loading Softdesign

Fundraising e Transformação Digital no GS 2019

De 31 de julho a 2 de agosto aconteceu o maior evento de startups do Brasil, o Gramado Summit. Nós, da SoftDesign, estivemos presentes como expositores, apresentando nossos serviços de concepção e desenvolvimento de produtos digitais, e mostrando como podemos ajudar novos empreendedores e também empresas consolidadas a transformar suas ideias em softwares.

Aproveitamos a oportunidade para assistir e se inspirar com algumas das palestras do evento. Confira abaixo duas das que mais chamaram a nossa atenção.

A sua startup está pronta para investimentos? De verdade?, por Amure Pinho

Normalmente, as startups consideram o investimento a única forma de fazer seus negócios crescerem e escalarem. O que elas deixam de considerar nessa jornada é que o dinheiro nem sempre é a única solução. Em sua trajetória de mais de 10 anos como investidor, nos quais investiu em 23 diferentes negócios, Amure Pinho explorou, em sua fala, o fato de que muitos empreendedores buscam verba financeira apenas para diminuir sua tensão e incerteza ao empreender.

O presidente da Abstartups ressaltou que, ao considerar isso, a startup comete um grande erro. Os investidores buscam negócios que já estejam gerando receita e que estejam maduros o suficiente para saber o que fazer com o novo capital. Isso significa que os startupeiros precisam ter claro seus objetivos à longo prazo – onde querem chegar em 18 meses, que é o tempo considerado adequado para medir o retorno do recurso investido.

Assim, a nova empresa deve ter a ideia, criar o MVP (Mínimo Produto Viável), validá-lo e executá-lo para, só então, buscar investimento. “Mas aí você vai me dizer que precisa de dinheiro para contratar um desenvolvedor, e eu vou lhe responder: talvez você nem precise de sequer uma linha de código no início do seu negócio ”, comentou.

Além disso, Pinho ressaltou que, mesmo que você já esteja obtendo lucro e acredite que é o momento certo para buscar fundraising, talvez seja adequado testar variados canais de venda, sejam eles off-line, e-commerce, e até mesmo investir em marketing digital. Ainda, é importante realizar pesquisas e buscar compreender se a ideia que você está propondo é algo que mais pessoas, além de você, desejam. O ideal é certificar-se de que seu produto sana ‘a dor do cliente’ e que, de fato, atende uma demanda de mercado.

Se você já está gerando receita, já testou canais e já fez pesquisa, então talvez seja a hora certa para buscar investimento. E, segundo Pinho, um bom método para convencer investidores a apoiar financeiramente o seu negócio é enviar a eles relatórios periódicos, que demonstrem esforços técnicos, de negócio, marketing, etc. Nesse documento, que pode ser enviado por e-mail, é também importante ressaltar o que não deu certo, pois isso demonstra a capacidade de colher aprendizados. De acordo com o presidente da Abstartups, essa é uma estratégia de aproximação que gera transparência e faz com que a startup ganhe confiança de um futuro investidor.

Competências da Transformação Digital, por Andrea Iorio

Já a palestra do Chief Digital Officer da L’Oréal na Gramado Summit teve início com o seguinte questionamento: “Temos duas opções perante à transformação digital: sermos espectadores e assistirmos às oportunidades passarem diante de nós, ou sermos protagonistas dessa revolução”. E, para sermos protagonistas, precisamos desenvolver competências individuais como seres humanos, pois, por mais óbvio que soe essa afirmação, as empresas são constituídas de pessoas.

Andrea Iorio enumerou as seis competências que, acredita, precisamos desenvolver como seres humanos e empresas para nos adaptarmos a nova era digital. São elas:

• Flexibilidade cognitiva: é a capacidade de se adequar e responder com rapidez frente a um cenário que muda o tempo todo. É ter a habilidade de transitar entre ser crítico, ser criativo e ser analítico. É compreender a complexidade do mundo em que vivemos e ser capaz de propor soluções ideais. Em suma, é ensinar o cérebro a ter ‘jogo de cintura’ e efetivamente aplicar o conhecimento obtido na prática.

• Altruísmo digital: nada mais é do que colocar o ser humano no centro da experiência e pensar em modelos de negócios que não são mais B2B ou B2C, mas sim H2H (human to human). Para exemplificar esse item, Iorio falou sobre uma plataforma de relacionamentos que, em meio à crise de 2008, cresceu exponencialmente ao identificar que, quando as pessoas estão desempregadas, possuem uma maior tendência a buscar segurança emocional em relacionamentos.

• Inovação incremental: inovar não tem a ver com criar algo novo, que ninguém ainda fez, mas sim, fazer melhor do que o seu concorrente. Isso significa aprimorar procedimentos já existentes, buscando sempre observar o que os grandes players do mercado estão realizando.

• Comportamento humano: em plena transformação digital, é preciso entender quem é o seu público, entender suas dores e criar soluções voltadas para atender suas necessidades da melhor forma. O CDO citou o exemplo do aplicativo Tinder – do qual ele esteve à frente da área de marketing por cerca de cinco anos. Para uma melhor experiência de usuário, foram criadas funcionalidades que lembram jogos, que respeitam a privacidade dos usuários e que, além disso, integram as redes sociais com o aplicativo (minimizando o tempo de cadastro na plataforma).

• Pensamento crítico: é ser capaz de questionar a forma como as coisas são tradicionalmente feitas (status quo) e perceber o mundo com o olhar de iniciante, como de uma criança, sempre disposta a se descontruir e aprender.

• Foco no resultado e na experiência: garantir uma melhora na entrega do resultado é essencial para o sucesso no negócio. “O funil mudou e a prioridade é a retenção, a experiência. Nós primeiro precisamos ter um produto que retenha os usuários para, depois, investimos em crescimento”, comentou.

Gramado Summit 2020

Essas foram somente duas das dezenas de palestras que o Gramado Summit trouxe aos seus três palcos, em três dias de evento. Vale a pena ficar atento ao site e às redes sociais do evento para não perder a edição do ano que vem!