Loading Softdesign

Apple TV+ é novidade no mundo do streaming

Bruna Leite
por Bruna em 03/04/2019
5 minutos de leitura

Em um mundo cada vez mais conectado e globalizado, nenhum mercado está ganho e livre de concorrentes. Até mesmo as grandes empresas vivem num cenário instável, no qual, de uma hora para outra, podem ocorrer mudanças. A prova é que o grande player Netflix pode não ser mais o líder do seu segmento até o final de 2019. No dia 25 de março, a Apple anunciou no Apple Special Event, em Cupertino (CA), nos Estados Unidos, o lançamento da sua plataforma de streaming Apple TV+, com previsão de estreia para o final deste ano.

Apple TV+: um serviço de streaming diferenciado

Tudo indica que a assinatura mensal da Apple TV+ custará menos que o serviço da Netflix (que atualmente se encontra a partir do valor de R$ 21,90). Além do preço como um diferencial, a empresa fundada por Steve Jobs conta com uma vantagem: 1,4 bilhões de dispositivos ao redor do mundo, incluindo 900 milhões de iPhones, o que facilita para que os usuários acessem o streaming, visto que já possuem o dispositivo para tal. Ainda, há rumores que especialmente para esses usuários o serviço será disponibilizado, inicialmente, de forma gratuita. No entanto, o acesso a Apple TV+ também poderá ser realizado em dispositivos de marcas como Samsung, LG, Sony e Vizio.

Estratégias para conquistar o mercado

Conteúdo original e grandes estrelas de Hollywood: seria essa a fórmula perfeita para chegar ao mercado de forma surpreendente? Pois essa é a estratégia da gigante Apple. O que se sabe, é que um dos principais conteúdos da plataforma será um programa de TV matinal fictício protagonizado pelas estrelas norte-americanas Reese Witherspoon e Jennifer Aniston. Além disso, faz parte da estratégia incluir na programação canais como Starz, CBS, Viacom e alguns recursos do CNBC. O canal HBO também está cotado para fazer parte do serviço de streaming.

Mas a inovação não acaba por aí! A empresa dirigida por Tim Cook anunciou também outras três novidades: uma plataforma de jogos, uma de revistas e também, ousou a entrada no mercado financeiro, com um serviço de cartão de crédito.

Tecnologia e entretenimento: o xeque-mate da Apple

Com essas três novas plataformas voltadas ao entretenimento (e uma, para o mercado financeiro), a Apple poderá realizar uma entrada triunfal neste novo mercado, utilizando a sua visão estratégica de forma inigualável. Saiba mais sobre os demais serviços lançados pela empresa, que é uma das mais valiosas do mundo:

Apple Arcade: com um catálogo de mais de 100 jogos e com previsão de inclusão de novos regularmente, será possível fazer download e jogar sem acesso à internet. Jogos de gigantes do mundo dos games estarão disponíveis, entre eles: Konami, Cartoon Network, Sega e Lego. Títulos independentes, como de Will Wright (o inventor do SimCity) também farão parte da plataforma, que poderá ser baixada apenas em aparelhos da Apple.

Apple News +: com acesso apenas nos Estados Unidos e Canadá e, até o final deste ano na Austrália e Reino Unido, a plataforma funcionará dentro do Apple News, aplicativo de notícias lançado há três anos. Além das mais de 300 revistas, o Apple News + terá em seu catálogo jornais como ‘Los Angeles Times’ e ‘Wall Street Journal’. A assinatura custará em torno de US$ 9,99 por mês.

Apple Card: o cartão de crédito é um lançamento em parceria com a Goldman Sachs e a operadora Mastercard e tem como proposta fornecer um controle financeiro dentro do aplicativo Wallet, do iPhone. O usuário poderá acompanhar seus gastos, bem como ter um detalhamento aprofundado das suas transações, que se integram com o aplicativo de geolocalização. Assim como outros players de cartão de crédito que conquistaram o mercado, o Apple Card não cobra taxas de anuidade. 

Fontes: iMore, Techradar, New York Times, CNBC e Globo.com