A importância dos exercícios físicos na quarentena

Tempo de leitura: 7 minutos
Desenvolvimento de Pessoas
por em 16 de julho de 2020

Não é novidade que a pandemia de coronavírus mudou  a nossa rotina. Devido ao isolamento social, foi necessário encontrar novos meios para realizar em casa tarefas que, antes, fazíamos em  locais variados. Além da adaptação no formato de trabalho, mudamos também a maneira de realizar exercícios físicos, por exemplo. Estima-se que, no primeiro mês de quarentena (abril) as buscas por aparelhos domésticos de ginástica e musculação aumentaram em mais de 200% no Brasil.

Afinal, nesse contexto, realizar alguma atividade física se tornou importante para quem está mais tempo em casa. Mas como ter certeza de que essas atividades estão sendo feitas de forma saudável? Será que elas podem melhorar a nossa qualidade de vida? A partir dessas questões, convidamos o fisioterapeuta Paulo Alvares para conversar com os nossos colaboradores em mais uma edição online do SoftDrops*.

Definição de saúde

Ao iniciar a sua apresentação, Paulo definiu, brevemente, o conceito de saúde para os participantes, com base na Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Estado completo de bem-estar físico, mental e social. Não apenas a ausência de doenças ou enfermidades.”
(OMS)

Ou seja, ser saudável não relaciona-se somente com o bem-estar físico e não depende apenas das nossas ações. Há de se considerar também os aspectos mentais e sociais nos quais nos encontramos. Por exemplo: quando falamos do coronavírus não estamos em um ambiente social saudável.

Tendo isso em mente, pode se tornar um pouco difícil avaliar o que é ser saudável ou não. Por esse motivo, o fisioterapeuta definiu saúde de uma forma mais simples: harmonia. Isso representa o equilíbrio entre o nosso corpo, o meio em que estamos, a nossa cidade e as pessoas que estão ao nosso redor, pois todos esses fatores são importantes para a nossa saúde. Do ponto de vista fisiológico, podemos pensar que essa harmonia equivale ao conceito de homeostasia, que é o estado de equilíbrio entre todos os sistemas orgânicos. Nesse sentido, o corpo trabalha constantemente para encontrar esse ponto.

Por exemplo, toda vez que a temperatura muda no local em que estamos, nosso organismo trabalha para estar de acordo com essa alteração. O exercício físico auxilia justamente nesse processo. Para tanto, devemos compreender que mente e corpo estão conectados e fazem parte de um todo.

Como a atividade física pode ajudar a saúde?

Usando como exemplo o cenário no qual estamos inseridos, em um clima mais frio e chuvoso na região sul do país, os exercícios físicos podem auxiliar no fortalecimento do sistema imunológico. Eles também servem como uma maneira de tratar e prevenir dores, além de auxiliar na produção de neurotransmissores e hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar. Em suma, se manter ativo promove a sensação de bem-estar.

Passear com o cachorro, limpar a casa ou realizar ações que demandem energia, são só alguns exemplos possíveis para se manter em movimento. Segundo o fisioterapeuta, 150 minutos de atividades por semana com algum grau de esforço, em um nível moderado, já é um ótimo começo.

Entretanto, é necessário ter alguns cuidados para evitar possíveis lesões, pois não devemos forçar os limites do nosso corpo. Mais que uma prática, os exercícios podem se tornar uma válvula de escape para os problemas. Com isso, os exageros podem se tornar comuns.  Paulo esclareceu que, para ser considerado saudável, o exercício deve ser prazeroso. Fazer uma avaliação prévia antes de começar a realizar alguma atividade física, quando possível, também é recomendado. Para oferecer mais benefícios do que riscos, a atividade realizada deve ser regular e, conforme o fisioterapeuta já havia comentado, respeitar os limites do corpo é fundamental.

Durante o período de isolamento, o acompanhamento online de algum profissional pode ser uma boa opção. Além disso, o descanso adequado e a boa alimentação contribuem para os resultados positivos.  Se você não está fazendo qualquer tipo de exercício, Paulo sugeriu colocar uma música para dançar, por exemplo. Isso pode servir como motivação para que você procure outras formas de se exercitar.

Estar ativo pode auxiliar no trabalho remoto

Paulo finalizou a sua apresentação comentando que o ideal é começar com atividades de 20 a 30 minutos por dia, de três a quatro vezes por semana. Estabeleça dias e horários, reservando um tempo para fazer exercícios. Recursos como aplicativos também podem lhe auxiliar, caso não tenha como fazer aulas particulares online. E, em último caso, se você não tiver espaço em casa, faça uma caminhada na rua com todos os cuidados da quarentena. Utilize a máscara e procure horários e locais com pouca movimentação de pessoas. Estar ativo pode ajudar, inclusive, na concentração durante o trabalho. No home office, trabalhamos mais tempo sentados na frente do computador e não caminhamos tanto. Tirar alguns minutos durante o dia para caminhar dentro de casa ou fazer alongamentos, por exemplo, melhora a circulação e o relaxamento do corpo. Essas iniciativas, podem contribuir para a concentração impactando, inclusive, nas entregas do trabalho.

O importante é começar, nem que seja com 20 minutos, como falamos anteriormente, três dias por semana para, posteriormente, evoluir. Isso diminuirá os riscos de lesões e irá contribuir para a regularidade do exercício e para que ele seja inserido na sua rotina e se torne um hábito positivo.

*O SoftDrops é um evento de troca de conhecimento que acontece todas as quartas-feiras, na sede da SoftDesign. A cada semana, um colaborador se predispõe a expor para os colegas algum tema de seu interesse, que tenha relação com os três pilares do nosso negócio: design, agilidade e tecnologia. A minipalestra dura em torno de trinta minutos e é seguida por um bate-papo entre os participantes.

Sugestões ou críticas para nosso blog? Entre em contato pelo endereço mkt@softdesign.com.br.